Populares Mês

Bola-Branca e "Guardanapo" unidos numa miserável mentira


Sem noção do ridículo, o presidente do Marítimo, Carlos Pereira, conhecido entre os portistas pelo "Guardanapo", ontem voltou falar sobre o treino do seu clube no Centro de Treinos do Benfica. Incapaz de perceber o significado dessa pouca vergonha e dessa promiscuidade, quando ainda se discutia o título e o Marítimo podia ser interveniente directo, Carlos Pereira disse que voltava fazer o mesmo. OK, isso define-o, mas como não podia deixar de ser, aproveitou a oportunidade para "bicar" o F.C.Porto, dizendo que o Marítimo já treinou no Dragão e mais, já lá entrou com 18 jogadores e saiu com 17, um deles já nem foi para o banco, dando a ideia que o F.C.Porto em vésperas de receber os insulares lhes tinha contratado um jogador.
Como se pode ouvir e ler aqui, o presidente do Marítimo não disse o nome do jogador, mas a Bola-Branca diz que o jogador em causa é Léo Lima. Ora o médio brasileiro ingressou no F.C.Porto em Janeiro de 2005 e como o F.C.Porto 1 - Marítimo 0 da temporada 2004/2005, 31ª jornada, foi disputado em 30 de Abril de 2005, Léo Lima já era jogador dos Dragões há meses, nesse jogo estava no banco do F.C.Porto como se pode ver na imagem do lado esquerdo. Mas mais, o jogo da 1ª volta foi em 22/12/2004 e Léo Lima depois desse jogo ainda esteve no banco do Marítimo em Leiria, 16ª jornada, disputada em 09/01/2005, sinal claro que não houve qualquer polémica - ver imagem do lado direito.
Como se demonstra claramente, Bola-Branca e Carlos Pereira mentem miseravelmente, mentira que já hoje é amplificada nos pasquins do costume... esses nem sequer se preocuparam em confirmar a notícia, saber se era verdade ou mentira, escarrapacharam-na  nos seus sites e no papel.

Vai assim o jornalismo em Portugal. Gente incapaz de fazer o trabalho de casa, incompetente até dizer basta, sem ética, sem pudor e sem vergonha na cara. Sempre e sempre com o F.C.Porto como alvo.
Até quando estaremos de braços cruzados?

Um olhar sobre a silly season


Estamos na silly season, são resmas de jogadores a entrar e a sair... o que vale é que basta ter um pouco de atenção, ver a proveniência e quem assina a notícia para concluirmos se tem pernas para andar ou não tem ponta por onde se pegue. Façamos um ponto da situação sobre jogadores que vestiram de azul e branco e dois que foram emprestados em 2014/2015, numa altura em que no Dragão se trabalha a todo o gás para que quando a pré-época se iniciar esteja quase tudo definido... embora e como sabemos, com o mercado arrastar-se até ao fim de Agosto e no que toca à formação do plantel é sempre muito complicado, pode sempre haver grandes surpresas de última hora.

Jackson:
O Presidente quer renovar, há quem diga que o colombiano não quer, quer experimentar novos desafios, um campeonato com maior visibilidade. É fácil: tem contrato e como tal ou aparece quem pague a cláusula de rescisão e vai à vidinha dele; ou não aparece e tem de se apresentar ao trabalho quando o F.C.Porto decidir - recorde-se que Cha Cha Cha vai disputar a Copa América... É isto, não vale a pena fazer novelas e filmes acerca de uma questão muito simples.

Carlos Eduardo:
Jean-Pierre Rivère, presidente do Nice, disse que Carlos Eduardo sonha ficar no clube que preside. Depois acrescentou: um sonho que é partilhado pela sua família e pelo clube, o problema é o F.C.Porto. Mesmo não sendo o clube francês da dimensão do português, até compreendo o jogador brasileiro. Nice é uma cidade bonita, fica numa zona fantástica, Côte d' Azur, o clima é óptimo... Mas se clube e jogador sonham, entendam-se, cheguem-se à frente, paguem, nem deve chegar a 1/4 do preço de Jackson e tudo resolvido a contento de todas as partes.

Alex Sandro:
Vai entrar no último ano de contrato, ainda não renovou, mas tenho para mim que ou sai agora e para isso o F.C.Porto não vai exigir o valor da cláusula ou se ficar... renova.

Josué:
Está triste com o F.C.Porto. Diz que não foi dispensado, que saiu do F.C.Porto por outras razões, sentiu-se injustiçado. Fez uma excelente época nos turcos do Bursaspor que querem ficar que fique em definitivo. Como gosto de Josué, apesar de alguns excessos de irreverência, gostaria que voltasse, tem valor e é um verdadeiro Dragão. Será que este último factor não compensa o outro, não é importante ao F.C.Porto ter jogadores destes, que sintam a camisola, no seu plantel?

Óliver:
Também não dou o jovem espanhol como um caso perdido, ainda confio que o teremos com a camisola do F.C.Porto vestida na próxima época.

Casemiro, in Dragões Diário:
Hoje começamos por lhe dar uma boa notícia que desejamos se torne uma muito boa notícia. O FC Porto informou ontem o Real Madrid da intenção de adquirir o passe do jogador Casemiro. O contrato entre as partes prevê, porém, a possibilidade do clube espanhol exercer direito de opção, indemnizando o FC Porto, pelo que a palavra está agora do lado dos madrilenos. A verdade é que Casemiro está mais próximo de ser jogador do FC Porto. E só não será se o Real Madrid pagar para isso.
Como sempre disse e hoje confirma-se, ao contrário da versão que correu quando se colocou a possibilidade do médio brasileiro regressar a Madrid, o F.C.Porto ao exercer o direito de opção sobre Casemiro obriga o Real a ter de pagar se quiser fazer regressar o jogador. Este é mais um exemplo de como a mentira, por mais que repetida, não passa a ser verdade.
Gostaria muito que Casemiro ficásse. É jovem, tem valor e grande margem de progressão, capacidade de luta e um espírito que me agrada.

Notas finais:
A fofa com U, juntou-se ao coro das carpideiras sobre o golo invalidado a Jonas, considera o brasileiro vencedor moral da Bola de Prata. É natural, a fofa com U é a porta-estandarte, nestas coisas não podia ficar para trás. No entanto lembro à fofa com U um golo limpo invalidado a Jackson do Gil-F.C.Porto, lembro também que no Benfica 3 - Boavista 0, o terceiro golo foi de penalty inexistente - a falta foi claramente fora da área - e quem marcou a grande-penalidade foi... Jonas. Portanto, fofa com U, vencedor moral é o teu primo que também é um fofo.

O golo de Kelvin foi algo que não se explica, sente-se. Este idem, mas sem este talvez a história do F.C.Porto fosse diferente. Foi este golo que mudou tudo.Também no Dragões Diário de hoje.

Faleceu Domingos Pereira.
Paz à sua alma. À família enlutada e ao F.C.Porto os meus sentidos pêsames.

Benfica vai rifar Rui Gomes da Silva


Mal sabia o anónimo que ontem em comentário sugeriu que o Benfica rifasse Rui Gomes da Silva, o quanto estava próximo da verdade...

Na impossibilidade de vender Salvio, vítima de uma lesão grave e precisando de pasta, apesar das vendas faraónicas a que fiz referência no post anterior, Luís Filipe Vieira meteu os pés ao caminho, reuniu as tropas, tomou uma decisão: o Benfica vai rifar Rui Gomes da Silva. O objectivo é conseguir uma verba de vinte e poucos milhões, no caso de serem vendidas as 8 milhões de rifas que vão ser colocadas á venda e a um preço unitário de 3 euros cada, serão 24 milhões de euros, verba que renderia a transferência do jogador argentino. Para saber mais pormenores acerca deste assunto, uma autêntica pedrada no charco, o Dragão até à morte entrou em contacto com o seu pequenino preferido e seu Prémio Kompensan/Rennie, 4ª edição e conseguiu um exclusivo que prestigia o blog, mostra o fair-play e desprendimento do vice-benfiquista, a quem agradeço em nome dos frequentadores do "tasco". Eis o curto, mas significativo, diálogo:
- Rui, aceitou ser rifado, facto nunca visto no futebol português, porquê? Convenhamos que não é normal...
- Antes de lhe responder deixe-me dizer-lhe que é um prazer estar aqui onde sou sempre muito bem tratado, adoro quando me tratam por xuxuzinho, foi uma honra ter recebido o seu prémio em 2011 e disso dei conta na altura, como deve estar lembrado, no Programa Dia Seguinte. Dito isto e respondendo à sua pergunta, um benfiquista apaixonado como eu, tem de ter espírito de missão, estar sempre pronto para todos os desafios e sacrifícios em prol do seu clube. É preciso ser rifado? Rifem-me! Respondi eu ao presidente que, já agora, ficou emocionadíssimo e com a lágrima no canto do olho.

- Rui, quando diz que está preparado para todos os desafios e sacrifícios, isso significa mesmos todos ou há excepções, algo que o Rui nunca fizesse, apesar de todo esse amor e paixão pelo Benfica?
- Sem dúvida! Não sei o que vai na sua cabeça nem o significado desse sorriso malandro, mas quando digo todos, é mesmo todos!

- Rui, mas satisfaça-me a curiosidade: quem tiver o número da sorte, ganha o Rui e depois, há regras ou pode dispor do Rui a seu belo prazer? E durante quanto tempo?
- Há regras, claro, a primeira é que o rifado só vai ficar ao disponível para o vencedor durante um ano e não todos os dias, apenas nos dias úteis. Durante esse tempo, aí sim, pode servir-se à vontade, desde limpar  acasa, fazer as refeições, mudar fraldas, cantar, dançar, contar anedotas, dar banho ao cão, etc.

- Rui, mas imagine que é um portista que ganha? Sim, o Benfica vai colocar as rifas à venda, não pode controlar os gostos clubísticos dos potenciais compradores...
- Meu caro, o meu sacrifício chega a té aí... se for um Dragão a ganhar, é a ele que vou servir.

- Rui, não o maço mais, obrigado pelo sua disponibilidade e já fica a saber: no mínimo, duas rifitas vou comprar. E s eganhar... nem lhe conto o que vou fazer consigo... Ahahahahah!

Sigam o exemplo de Daniel Alves...

 Daniel Alves: "Não respondo à Marca, porque é lixo"
Miguel Sousa Tavares 
António Simões 
Paulo Teixeira Pinto 

Foi assim, sem papas na língua, que o lateral do Barcelona reagiu quando o jornalista da Marca, jornal de Madrid, claramente para o Real Madrid e sempre contra o maior clube da Catalunha, lhe colocou uma pergunta. Gostava de ver treinador e jogadores do F.C.Porto tomarem a mesma atitude e não só em relação ao jornal "dirigido" pelo Pastel de Belém, mesmo que a Marca não tenha nada a ver com o manto sujo da queimada. O jornal espanhol é pró-Real, mas quando tem de bater forte e feio no presidente, treinadores, jogadores, etc., dos merengues, não hesita, ao contrário dos da queimada onde lamber o traseiro a tudo que seja vermelho é prática corrente. Ailás, hoje e mais uma vez, a desonestidade é bem notória. Enquanto em relação ao F.C.Porto se apresenta uma lista de jogadores cedidos e se diz que vão custar mais de 3 milhões, no que toca ao clube do regime tudo é um mar de rosas. Cancelo rendeu 15, mentira!, mas não faz mal e, pasme-se, agarrem-se, o Desportivo da Corunha que não tem dinheiro nem para mandar cantar um cego, vai gastar 30 milhões nos jogadores emprestados pelo Benfica, Sidnei, Fariña e Ivan Cavaleiro. É assim, mentindo descaradamente, deturpando, apresentando um clube como um exemplo de gestão e o outro como o contrário, que se vai levando a água ao moinho. O pior é que o F.C.Porto e os portistas em vez de combaterem estas poucas vergonhas sistemáticas, deixam-se ir na onda, permitem, por exemplo, que os 11 milhões do Adrián sejam apresentados como um negócio ruinoso, quando não é assim, idem para os jogadores cedidos - basta vender Josué para que o negativo passe a positivo -, enquanto no principal rival à custa destes prostitutos disfarçados de jornalistas, é só virtudes. Ter bons plantéis, bons treinadores e depois, boas equipas, é importantísimo; mas se não travarmos um combate sem tréguas contra esta nojeira, se permitirmos que mentiras muitas vezes repetidas, passem a ser verdade; ficaremos mais próximo de perder do que ganhar. Sim, porque este tipo de análises distorcidas, facciosas, só vendo defeitos de um lado e feitos extraordinários no outro, desgastam, minam, afastam as pessoas... enquanto funcionam ao contrário em relação ao outro lado.
Concluindo: 
Sigam o exemplo de Daniel Alves, digam a esta escumalha, na cara, não falamos para a Bola ou outros pasquins com comportamento semelhante, porque é, são, lixo!

Nota relacionada...
Jorge Nuno Pinto da Costa disse há dias que Julen Lopetegui deu demasiada importância a alguns figurões, perguntado se se referia a Rui Gomes da Silva - Miguel Sousa Tavares na crónica de hoje, arrasa o anão... - respondeu que esse não conta, está ali para ganhar o dele. Curiosa perspectiva, um vice-presidente do Benfica passa a vida a insultar o F.C.Porto, diz o que quer e lhe apetece sobre os Dragões, mas para Pinto da Costa isso não conta, ele está ali para ganhar o dele. Portanto, conclusão minha, pode dizer o que quiser, continuar a insultar e a denegrir, à vontade. Apetece perguntar, quem eram os figurões, a quem deu demasiada importância, o treinador do F.C.Porto?

O freteiro anda tão feliz que compara o incomparável


Que os portistas ultimamente só aparecem nos grandes jogos ou jogos de festa, é verdade e por isso o conformismo de anos e anos de barriga tem de ser combatido, levar mais público ao Dragão tem de ser um objectivo bem presente na cabeça do quem dirige. Mas fazer comparações entre a média de espectadores na Luz e no Dragão, numa época em que o Benfica liderou desde muito cedo, estava na expectativa de conquistar um bicampeonato, algo que já não consegui há 31 anos, só na cabeça do freteiro com calo no cu como o macaco, Delgado. Basta ver o que aconteceu na última jornada: no estádio do F.C.Porto onde já não se decidia nada, apenas estiveram 16 mil espectadores, se o F.C.Porto estivesse a festejar o título estariam 50 mil. Se fosse ao contrário aconteceria um fenómeno semelhante. Que o freteiro ande feliz, eufórico, sem tantas dores de estômago e com o calo menos inchado, percebe-se, mas tirar conclusões para apresentar teorias já gastas, sempre com o mesmo intuito... não, ó freteiro! Porque nunca se fazem estas análises em épocas que o F.C.Porto ganhou, por exemplo, na época 2010/2011? Aliás, mesmo que os estádios estivessem sempre cheios seria sempre o Benfica com mais público no estádio...

Bueno, Carlos Eduardo, um regresso e Sérgio Oliveira outro regresso, são três jogadores que Pinto da Costa já confirmou no plantel 2015/2016. O ex-Rayo Vallecano não conheço, os regressados conheço bem. Sérgio prometeu muito, faltou quem na hora certa tivesse a coragem de ter apostado nele - já falei sobre isso várias vezes... -, saiu, jogou, é um jovem, ainda vai muito a tempo de cumprir o que prometeu. Carlos Eduardo tem qualidade, na época passada, mesmo não sendo uma temporada propícia à afirmação de quem chegou ao F.C.Porto, fez bons jogos, não tendo merecido a confiança de Lopetegui saiu para o Nice, fez uma excelente época, volta mais experiente, tem valor para se afirmar.

Afinal a Rotatividade não foi tanto assim...

Ainda bem que não há um prémio chorudo para o campeão... caso contrário tínhamos muito que reclamar.

- Ó Quim, andas-me a enganar. Se o Cancelo fosse vendido por 15 milhões, o valor tinha que ser comunicado à CMVM e como não foi... o valor foi muito inferior.

Até este momento não são conhecidos incidentes em frente ao Município de Lisboa...

Quem está a atrapalhar?


Casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão, diz o ditado. Em casa onde normalmente se conquistam títulos e nos dois últimos anos apenas foi conquistada uma Supertaça... é natural que se exagere, falte objectividade, clarividência, se tenda a colocar tudo e todos em causa. Não é esse o meu estilo, não ando com uma lupa à procura de coisas que não estão bem para "bater", também não ando à procura de bodes expiatórios. Agora, se tenho um blog, sou um adepto e sócio apaixonado, alguém que conhece bem  o F.C.Porto e o acompanha de muito perto há mais de 40 anos, é natural que disserte sobre aquilo que vejo, elogiando ou criticando conforme as circunstâncias. Não tenho a pretensão de ensinar o padre nosso ao vigário, eu que nunca geri um clube de bairro, dar lições a quem tem décadas de provas dadas. Neste espaço de tertúlia, com respeito, objectividade e de forma construtiva, procura-se dar contributos para um F.C.Porto cada vez melhor. Sempre foi assim, nas épocas boas e más e enquanto existir Dragão até à morte, assim será. Adiante.

Neste longo consulado de Pinto da Costa, o F.C.Porto teve muitos dirigentes, treinadores, jogadores, uns melhores ou outros piores, já ganhámos coisas extraordinárias, já tivemos derrotas que deixaram marcas, em qualquer situação, não tendo ganho ou perdido sozinho, emergiu a figura do Líder, foi sempre o Presidente a principal figura para o bem e para o mal. Nas horas da derrota, sempre os momentos mais complicados de ultrapassar, Pinto da Costa aparecia com o diagnóstico feito, transmitia confiança, indicava o caminho, mobilizava, lançava o futuro. Foi assim após os três anos de seca em 2000, 2001 e 2002, foi assim após a terrível época de 2004/2005, foi assim após o campeonato do túnel, já para não ir mais atrás. E agora, depois de mais uma época desportivamente abaixo das expectativas, para as exigências do F.C.Porto, será que Pinto da Costa que ultimamente tem aparecido tão pouco, dirá alguma coisa? Ou fará o mesmo que na temporada anterior em que praticamente se limitou a um, perdemos? Eu acho que devia falar e falar de tudo sem tabus, transmitir a certeza que o Líder está atento, vai alterar o que for de alterar, doa a quem doer, para que o amanhã seja melhor. Que nesta nova era da comunicação e em que tudo se espalha muito rapidamente, vamos combater sem tréguas a boataria, a notícia falsa que condiciona e causa danos que podem ser irreparáveis. Que quem chega de novo fique a conhecer os seus direitos, mas também os seus deveres, sinta que antes de dizer, somos Porto, tem de provar que é Porto. Que quem coloca os seus interesses pessoais acima do clube, não tem futuro de azul e branco ao peito, seja ele quem for. Que temos consciência das dificuldades que um rival mais forte nos coloca, mas que vamos voltar a ser um Porto coeso, unido, solidário, humilde, pró-activo, que anticipa os acontecimentos e não anda ao sabor dos acontecimentos. Um Porto com espírito de luta, de combate, com uma liderança forte e cada macaco no seu galho. Que vamos voltar a ser aquele Porto dos primórdios, quando tantas e tantas barreiras tivemos de derrubar para aqui chegar. Se fomos capazes de fazer isso com uma gestão onde havia muito amadorismo, muito mais capazes temos de ser quando o profissionalismo e que profissionalismo!, impera. Não podemos voltar a ficar com a sensação que um Porto normal seria campeão, mesmo contra um andor carregado de vermelho. E esta época essa sensação é clara.

Nota: 
Hoje encontrei alguém por quem tenho grande consideração e que teve um grande sucesso ao serviço do F.C.Porto. Falei-lhe sobre várias coisas, algumas são reflexões que aqui tenho partilhado, perguntei-lhe se o Andebol do F.C.Porto era o último bastião daquilo a que se chamava a mística e o espírito F.C.Porto, ultimamente desaparecido. Respondeu-me que fomos arrogantes, confiamos em demasia, mesmo com os sinais a serem evidentes, não arrepiamos caminho, confessou-me que fala com muita gente do F.C.Porto e que todos partilham as mesmas ideias. Mas disse-me também que estranha porque não se vai por aí, quando quase toda a gente está de acordo com o diagnóstico. Como também penso assim, pergunto: quem está a atrapalhar?
 
Escumalha!
O manto sujo e protector da queimada, os mesmos que durante a época omitiram e branquearam algumas poucas vergonhas que aconteceram neste campeonato, hoje, todos incomodados, colocaram em destaque de capa: "Erro do auxiliar tira Bola de Prata a Jonas". Esta escumalha, como se fosse pouco ter andado a puxar pelo jogador do Benfica, tratando Jackson como se fosse jogador de um qualquer clube da China, não encontrou espaço na capa para destacar o feito, Histórico, do Andebol Portista - ao contrário do que tinha feito quando o clube do regime se sagrou campeão de Voleibol. Compreende-se, era necessário fazer "jornalismo" rasca, provando que o manto sujo e protector da queimada mostra todos os dias aquilo que é: um bando de vendidos, onde a ética e a deontologia são constantemente pisados em prol da venda de papel.

Ele aí está, com um olhar que mata, a soltar impropérios e de dedo apontado, Lopetegui atira-se ao auxiliar...

Caixa de comentários 

F.C.Porto, Heptacampeão Nacional de Andebol

Uf! Conseguimos, carago!

Fomos vencedores incontestáveis da primeira-fase, neste play-off criado para ver se o mais regular se estampava, dominamos todo o jogo de hoje, mas o inacreditável aconteceu, no último segundo e num livre,  a bola ultrapassou a barreira e fomos para um prolongamento injusto. Com menos dois, em mais uma decisão que não percebi, vimos o Sporting adiantar-se com dois golos de vantagem e as coisas complicaram-se. Mas esta equipa tem uma alma, uma raça, uma crença e um espírito fantástico, recuperou, empatou, forçou um novo prolongamento e aí conseguiu vencer.por 34-32 e sagrar-se HEPTACAMPEÃ NACIONAL, um feito HISTÓRICO.
Parabéns a todos, desde o Presidente até ao mais humilde funcionário da secção, passando por um conjunto de jogadores que honram a camisola e um TREINADOR, L.Obradovic, extraordinário e que tão contestado foi quando iniciou o seu trabalho no F.C.Porto. Vocês emocionam-me!


Parabéns também ao F.C.Porto, mesmo que na versão Dragon Force, que venceu pela segunda vez a Proliga de Basquetebol, desta feita, sem derrotas. Notável.
Senhor Presidente, o Basquetebol, superiormente orientado por Moncho López, vai para a Liga? Não acha que isso já devia ser claro há muito tempo, desde que desportivamente garantimos esse direito?

F.C.Porto 2 - F.C.Penafiel 0. Dragão acaba a época sem alma e sem chama


No último jogo de uma época triste e sem qualquer título, algo que já não acontecia há 26 anos, o F.C.Porto venceu com justiça e por 2-0, o despromovido Penafiel. Mas se dissermos que o primeiro golo só surgiu ao minuto 82 e o segundo ao 90+2, fica a perceber-se as dificuldades que o conjunto de Lopetegui teve para levar de vencida uma equipa bem organizada defensivamente, briosa e pouco mais. Foi um Porto claramente cansado física e psicologicamente, sem confiança e sem motivação, aquele que se despediu dos seus adeptos

A primeira-parte foi muito semelhante a várias que vimos esta época ao F.C.Porto, no Dragão e também na condição de visitante: muita posse, domínio total, mas tudo muito lento, muito previsível, pouca contundência atacante, Jackson quase sempre sozinho ou fora do seu lugar - se está nas laterais não pode aparecer na zona de finalização -, para piorar, quando criámos oportunidades, uma ou outra, flagrante, fizemos o mais difícil, não concretizamos.

A segunda, mesmo com as entradas de Evandro para o lugar de Casemiro, Aboubakar - então não era utilizado para o F.C.Porto não ter de adquirir, pagando, mais uma parte do passe e hoje foi? -, para a saída de Brahimi e Herrera em vez de Quintero, foi muito parecida com a primeira, a única diferença foram os golos do internacional camaronês e do Danilo - grande jogo de um jogador de qualidade e que custa ver partir. E foi assim, com uma exibição pobre, sem alma e sem chama que o Dragão se despediu de uma temporada que tirando a boa prestação na Champions, não deixa saudades.

Jackson não marcou, mas só pode queixar-se de si próprio, não esteve muito inspirado na frente da baliza, falhou dois golos cantados.

Se este jogo servisse de teste a alguns dos menos utilizados e que hoje tiveram a sua oportunidade, José Ángel, Quintero, Reyes, principalmente, os dois primeiros dificilmente apanhariam o comboio para 2015/2016, o mexicano fez um jogo certinho, mas frente a um adversário que atacou tão pouco não foi obrigado a grande trabalho.

Assunto arrumado, nos próximos tempos trataremos de abordar outras questões que são importantes para o futuro do F.C.Porto. Não sei se Lopetegui acha suficiente as explicações que deu sobre a perda do título, mas espero que não, espero que diga muito mais do que disse hoje.


Perguntas ao Mister

 
Depois de ter deixado algumas perguntas ao Presidente, gostaria também de colocar algumas a Julen Lopetegui. Por exemplo:
Mister, desde que chegou começou logo a ser bombardeado, valeu tudo para lhe "bater", desde a falta de experiência em clubes e na Champions, passando pela torre de observação, armada espanhola, relação com Quaresma, arrogância espanhola, modelo, sistema, rotatividade, críticas aos árbitros, etc. O que tem a dizer sobre isso?

Durante esta época e semanalmente, deu a cara, foi praticamente a única voz do F.C.Porto. Sentiu sempre o apoio da estrutura do futebol, Presidente em primeiro lugar ou por vezes sentiu-se um homem só? Acha que basta aparecer nos treinos após resultados negativos para esse apoio e solidariedade ser manifesto ou em alguns momentos esse apoio e solidariedade devia ser público e em forma de palavra? Sente-se desgastado e vai alterar a sua postura no futuro, ou vai manter o mesmo comportamento? A famosa estrutura do F.C.Porto correspondeu às suas expectativas em todas as áreas, incluindo o departamento clínico?

Que pensa da comunicação social portuguesa? Acha-a isenta, equilibrada, justa, conhecedora ou tem uma opinião negativa, daí falar no manto protector?

Esperava um futebol português diferente, mais fácil e por isso foi surpreendido no início da época?

Alguma vez, mesmo que de forma velada, sentiu que a Champions é que era e o campeonato, desde que garantisse a entrada na fase de grupos em 2015/2016, tanto valia ficar em primeiro como em segundo? No jogo da Taça de Portugal frente ao Sporting e a poucos dias do F.C.Porto receber o Athletic de Bilbao, em que fez uma clara opção pelo jogo europeu, foi apenas por razões desportivas?

Sempre que Quaresma é substituído a comunicação social faz um filme. Ou é porque faz má cara, ou porque não o cumprimenta, a mesma coisa quando o Nº7 vai ao banco. Acha isso natural, convive bem com isso? Ou fica incomodado, acha que esses filmes o podem fragilizar, dado o carinho que têm por Quaresma muitos adeptos portistas?

O que aconteceu para que em momentos cruciais e em que tínhamos de ganhar nem que fosse ao pontapé para a frente e fé em Deus, a equipa falhasse? Concorda com aqueles que dizem que a mensagem não passou? Aceita a crítica que nesses jogos não foi capaz de transmitir a confiança, incentivo e motivação necessária para que a equipa tivesse a capacidade para deixar a pele em campo e vencer?

No F.C.Porto vs Basileia que considero o jogo mais conseguido pelo F.C.Porto esta época e onde se viu aquilo que acho são as suas ideias de jogo: equipa equilibrada, organizada, com posse, pressão alta e bem executada, dinâmica, largura, profundidade, boas jogadas de envolvimento, quatro golos e uma vitória categórica. Sendo os suíços uma equipa muito melhor que os marítimos desta vida, quais as razões para que as exibições deste nível fossem poucas, perdendo-se muitas vezes a equipa em toques e mais toques, num futebol estéril e irritante, de muita parra (posse) e pouca uva (golos)?

Tenho um amigo - se um dia estiver perto dele agasalhe-se bem...- que diz que o Mister, mesmo tendo indicado e conseguido trazer para o F.C.Porto vários jogadores que conhecia bem, nenhum tem características de liderança, é uma espécie de extensão do treinador dentro do campo. Esta ideia que me parece lógica, faz sentido para si? E se sim, quem era e porque não veio esse jogador?

Sendo que Danilo vai sair, Jackson é quase certo que também sai e Óliver regressa ao Atletico de Madrid, são logo três habituais titulares que deixam o F.C.Porto. Se a esses se juntar as saídas de Casemiro, Alex Sandro, é meia equipa que deixa o Dragão. Está preocupado, sabendo que substituir jogadores dessa qualidade não é fácil para um clube com limitações financeiras? Vê mais algum Rúben Neves na formação?

Com mais um ano de futebol português e de F.C.Porto, que podem os portistas esperar da próxima época?

Soltas:
No Jornal da Tarde da RTP, a jornalista Inês Gonçalves disse que os Super-Dragões ameaçaram bloquear os acessos ao Pavilhão do Odivelas, onde jogavam o Sporting e o F.C.Porto para o quarto jogo da final do play-off de andebol. Achei piada e por isso fui à página da Inês no facebook e deixei-lhe este comentário:
«Ó Inês, essa dos Super-Dragões terem ameaçado bloquear os acessos ao Pavilhão de Odivelas, só na tua linda cabecinha... é uma clara ironia, uma resposta ao comunicado do F.C.Porto, é uma forma de mostrar que eles estão sempre lá. Vê se raciocinas... não leves as pessoas a pensar que só estás na RTP pela tua carinha laroca...»

O meu amigo José Manuel Conceição anda tão desanimado que até tem evitado falar comigo, mas hoje, não deve ter aguentado e lá mandou brasa:
«Vila, quem pagou a festa no Marquês? Para além daquela pouca vergonha, daquela bandalheira, daquele conselho aos polícias que não fossem equipados porque ficava mal na festa do clube do regime, polícias que agora estão revoltados, porque há um que até pode ficar cego, quem pagou a festa?»
- Zé, olha não sei, mas como a dívida pública aumentou... se calhar fomos nós!


Nada a dizer, vou ver o jogo da triste despedida porque só costumo faltar por motivos de força maior, não perco um jogo há muitos anos, quero dizer adeus a alguns que fazem o último jogo de Dragão ao peito, em particular a Jackson Martínez. Posso não ter gostado de um ou outro comentário que fez, mas para além de um grande jogador, foi um profissional exemplar, que honrou o manto sagrado, deixa saudades. Ah, e não é portista desde pequenino... Espero que se sagre melhor marcador do campeonato. Fim.

O arbitro é Olegário Benquerença, auxiliado por Bertino Miranda e Luís Marcelino.

Convocados do F.C.Porto:
Guarda-redes, Helton e Andrés Fernández;
Defesas, Danilo, Alex Sandro, José Ángel, Martins Indi e Reyes;
Médios, Rúben Neves, Brahimi, Evandro, Quintero, Casemiro, Herrera;
Avançados, Quaresma, Hernâni, Jackson, Ricardo e Aboubakar.

Equipa provável:
Helton, Danilo, Reyes, Martins Indi e Alex Sandro, Casemiro, Rúben Neves e Herrera, Quaresma, Jackson e Brahimi.

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset